AfroBiz tem rodada de negócios para empreendedores negros do turismo


Foto: Divulgação

Através do projeto AfroBiz Salvador, mais de 100 empreendedores negros soteropolitanos participaram da primeira rodada de negócios direcionados à cadeia do turismo afro, da capital baiana. O evento foi realizado nesta quarta-feira (9), na Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), no Stiep.


Durante a exposição dos itens negociáveis, os empreendedores negros aproveitaram o espaço para conversas, trocas e palestras com afroempreendedores locais. Cada fornecedor utilizou um tempo médio de 30 minutos, para apresentar os produtos e serviços aos compradores.



Reparação– Através do Estatuto da Igualdade Racial, no eixo turismo étnico, o programa foi implementado a título de reparação histórica. Com objetivo de aproximar os negócios locais aos mercados brasileiro e internacional, o AfroBiz visa fomentar a valorização do trabalho de empreendedores negros de Salvador.


Afro business– As rodadas de negócios pretendem trazer à tona o protagonismo negro na economia local. A empresária paulista Elisabete Pereira é proprietária de uma rede de lojas de artes brasileiras. Na posição de compradora, ela destacou a expectativa para negociar com os empreendedores negros de Salvador.


“É um privilégio participar da primeira rodada de negócios afro business. Espero encontrar diversidade em produtos brasileiros, com qualidade e preços justos. Pela experiência que tenho, sei que vou achar muita coisa bacana. Salvador é um lugar de muita criatividade, na verdade é um grande celeiro de arte do Brasil. Não tenho dúvidas que faremos grandes negócios no dia de hoje”, previu.

Representante da empresa Arte é Trampo, o empreendedor Victor Badaró explicou que a produtora e agência tem foco em trabalhos artísticos. "Como artista, quero apresentar meu trabalho, sei que é um momento importante para o empreendedorismo negro da cidade. É um marco histórico, que dá espaço e valoriza. Com certeza, é uma abertura de portas, que promove o crescimento econômico para todo setor”, opinou.