Casos de sarampo na Bahia preocupam autoridades de saúde da capital



A Vigilância Epidemiológica de Vitória da Conquista, município localizado no Sudoeste baiano, emitiu nesta semana uma nota de alerta sobre o número de casos de sarampo na cidade.


A possível circulação do vírus no estado da Bahia preocupa as autoridades sanitárias de Salvador, uma vez que a situação torna ainda mais elevado o risco de dispersão da doença para a capital, principalmente, devido à baixa cobertura da campanha de vacinação.

Iniciada em 4 de abril, a estratégia contra o sarampo vacinou apenas 3.150 crianças de seis meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) em Salvador. O número corresponde a 2% de cobertura vacinal. No total, cerca de 206 mil crianças nessa faixa etária ainda não se protegeram contra a doença na capital.


Atualização – De acordo com a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal da Saúde, Doiane Lemos, a vacinação é a melhor forma de se proteger contra a doença. A gestora convoca pais e responsáveis a comparecerem aos postos de saúde para atualizar a situação vacinal das crianças.


“Uma cobertura vacinal favorável é de suma importância para quebrar a cadeia de transmissão e evitar que o vírus circule em nossa cidade. Infelizmente, ainda temos uma adesão muito baixa e isso nos preocupa ainda mais. É necessário que pais e responsáveis levem as crianças até os postos de saúde para regularizar a situação vacinal dos pequenos”, explicou.

A vacina contra o sarampo está disponível em todas as 156 salas de imunização dos postos de saúde da rede municipal, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 17h.