Chá emagrecedor pode ser causa da morte de Paulinha Abelha


Foto: Reprodução

A causa da morte da cantora Paulinha Abelha, vocalista da banda Calcinha Preta, ainda não foi totalmente esclarecida pela equipe médica. Paula Abelha, de 43 anos, veio a óbito na última quinta-feira (23) “em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico” – o que significa que vários órgãos essenciais ao funcionamento do corpo entraram em colapso.


Durante o período de internação, os problemas aventados foram a falência do sistema renal e a existência de uma “bactéria no cérebro” de Paulinha, mas a relação entre as duas condições não ficou clara. Não se sabe se a bactéria teria levado ao quadro de insuficiência renal ou se o que ocorreu foi o contrário: os danos cerebrais foram provocados pelo problema renal.


Uma matéria do jornal O Globo, deste domingo (26), aponta que uma das principais suspeitas da equipe médica que atendeu Paulinha é de que ela estivesse sofrendo de problemas renais por conta do uso abusivo de remédios e/ou chás para emagrecer.

A nefrologista Maria Letícia Cascelli, diretora da Clínica de Doenças Renais de Brasília, explica que remédios e chás emagrecedores podem causar rabdomiólise – uma síndrome que começa nos grupos musculares e atinge a corrente sanguínea.


Em um quadro de rabdomiólise, o sangue é inundado por substâncias tóxicas produzidas durante a quebra dos músculos, e o fígado e os rins não dão conta de fazer a “limpeza” necessária.


“Esses medicamentos podem gerar intensa quebra muscular e consequente lesão renal severa e não é incomum que vários sejam usados de maneira associada”, detalha Cascelli.

Como recomendação geral, a médica afirma que nenhum remédio deve ser consumido sem orientação médica e que chás devem ser evitados quando outros medicamentos estiverem sendo usados pelo paciente. As pessoas devem estar atentas à cor da urina, que deve ser transparente ou amarelo clara e é uma boa indicadora sobre a saúde do sistema renal.