Dirigente do PT rebate ACM Neto sobre críticas a Jerônimo: " sempre teve padrinho político"


Foto: PT Salvador

Ademário Costa, secretário de Combate ao Racismo do PT Bahia, rebateu críticas de ACM Neto e seus aliados contra o apoio de Lula ao pré-candidato do PT ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues. O ex-presidente do Diretório do PT Salvador criticou o pré-candidato da União Brasil afirmando que ele quer esconder sua trajetória política apadrinhada pelo avô e pela família Magalhães.


“Na realidade, ACM Neto quer esconder que só está na política porque seu avô, seu padrinho político, aquele que governava com um chicote na mão e o dinheiro na outra, o colocou, começando como chefe de Gabinete da Secretaria Estadual de Educação, sim, aquela que pegou fogo no governo de Paulo Souto. Aliás, ACM Neto não teve apenas um padrinho, teve uma família inteira, que, por muito tempo, fez da Bahia o seu curral, colocando ele nos espaços políticos, sem nenhuma disputa qualificada, sem construção, sem mostrar para que veio”, disparou Ademário.

O secretário ainda destacou que, enquanto ACM Neto crescia com a proteção do avô, o pré-candidato do PT ao Governo do Estado, Jerônimo Rodrigues, já tinha começando sua trajetória política.


“Quando ele (ACM Neto) ganhava tudo de mão beijada, Jerônimo estava na universidade (1987-1991), estudando Engenharia Agrônoma, fazendo mestrado (1993-1997) e lecionando nas universidades públicas (1995). Também assumiu diversos cargos políticos por competência e compromisso com a luta por direitos sociais. Receber herança, cargo e mandato de mão beijada é fácil, quero ver sentir as dores do povo e vencer, como Lula e Jerônimo”, disse o secretário.

Para Ademário, as críticas à Jerônimo feitas por ACM Neto e seus apoiadores na Bahia revelam insegurança.


“Eles sabem que nada têm para oferecer para contrapor o projeto do PT para a Bahia. O PT tem projeto para tirar o Brasil do retrocesso e fazer a Bahia continuar crescendo socialmente e economicamente, através de duas candidaturas representativas. E eles, o que têm para oferecer? Até agora, não mostraram nada”, rebateu Ademário.

Na disputa nacional, o dirigente acredita que o líder da União Brasil tem vergonha de assumir o Presidente Bolsonaro como aliado. “Ele tenta esconder que sempre apoiou Bolsonaro e que agora está debatendo cargos no governo federal para consolidar aliança. ACM Neto sabe que a Bahia vota com Lula e Jerônimo, então sua estratégia é esconder que ele está do lado do pior presidente da história do Brasil”, declarou Ademário.