Entidades do turismo baiano se unem para o fortalecimento do setor


Foto: Tatiane Azeviche

A união como mola propulsora do fortalecimento da cadeia turística. Essa foi a tônica do encontro realizado na quinta-feira (17), no Hotel Fiesta, em Salvador. Na ocasião, por meio de um ato simbólico, tomaram posse os novos dirigentes das entidades que representam o setor na Bahia: Roberto Duran ( Conselho Baiano de Turismo-CBTur) ; Luciano Lopes ( Associação Brasileira da Indústria de Hotéis- Abih/BA); Glicério Lemos ( Salvador Destination); Jean Paul Gonze ( Associação Brasileira dos Agentes de Viagens- Abav/BA); Carlinhos Oliveira ( Sindicato das Empresas de Turismo -Sindetur/BA); Leonardo Régis (Salvador Convention & Visitors Bureau); e Heloísa Braga ( Federação Brasileira dos Jornalistas e Comunicadores de Turismo-Febtur/BA).


Presente no evento, o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacelar, destacou a ação integrada entre as entidades para a geração de emprego e renda.


"Hoje, temos um bom exemplo dessa união, quando todos os dirigentes tomam posse no mesmo dia. O Governo do Estado tem trabalhado nesse sentido, desenvolvendo ações conjuntas ou paralelas, mas sempre na mesma direção do trade. O resultado é a Bahia liderando as atividades turísticas no país, o que significa mais postos de trabalho e mais riquezas".

O dirigente do Convention & Visitors Bureau, Leonardo Régis, ressaltou a procura pelo destino Bahia na alta temporada, mesmo sem a realização do Carnaval.


"A nossa terra não pode ser vista somente pelo turismo de festa. Temos o cultural, o religioso, o esportivo, o próprio sol e praia, além do histórico, que têm atraído muitos turistas. Quanto mais nós estivermos integrados e unidos, maior o fortalecimento dessa imagem lá fora".

O presidente da Abih-BA, Luciano Lopes, está otimista .


"Os hotéis continuaram com eventos privados, sobretudo os resorts, que possuem uma atividade de entretenimento muito forte. Nossas expectativas são boas. Até a primeira quinzena de setembro, a gente esteve até 10% acima, em relação ao ano passado. Esperamos terminar fevereiro entre 10 e 15% a mais do que em 2021, o que já será um movimento importante".