Fórum Empresarial discute fortalecimento da economia e atração de novos segmentos


Foto: Bruno Concha/Secom


A Prefeitura realizou a primeira edição do Fórum Empresarial de Salvador, na tarde desta quinta-feira (22). O evento, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda de Salvador (Semdec), buscou estreitar o relacionamento entre o poder público e o segmento empresarial para fomentar o desenvolvimento econômico da cidade. O fórum contou com as presenças do prefeito Bruno Reis e da vice, Ana Paula Matos; da secretária da Semdec, Mila Paes; da diretora Global ESG-Impacto do Nubank, Chris Canavero; e de diversos representantes do setor econômico.


O Fórum Empresarial de Salvador, que reuniu cerca de 40 convidados, integra as ações do projeto de Melhoria do Ambiente de Negócios da Prefeitura. O projeto propõe um pacote de ações e iniciativas envolvendo diversas pastas e órgãos de modo a fortalecer e ampliar a economia local. A proposta da Semdec é que o encontro se repita a cada três meses, se mantendo como um canal de diálogo contínuo com o setor.


Para o prefeito, este espaço será um recurso para impactar toda a estrutura da cidade. “Queremos ouvir sugestões, opiniões e que todos participem. Temos muitos desafios pela frente, mas o principal é identificar novos vetores de desenvolvimento econômico e fazer com que o setor privado tenha segurança para investir. Nossa cidade é muito desigual e o setor público sozinho não consegue mudar a matriz econômica da cidade que, no seu processo histórico, já sofreu tanto”, pontuou.


O gestor do Executivo municipal destacou que alguns vetores econômicos têm sido atraídos a Salvador como empresas do setor de saúde e da rede atacadista, por exemplo. Ele lembrou também que já houve avanço na desburocratização de serviços, como na redução do tempo de abertura para empresas, e que a criação da Semdec tem como pilar repensar melhorias para os negócios atuais e contribuir na formação econômica futura da capital.


“Apesar das dificuldades vamos sair na frente em relação a outras cidades. A economia nesses seis primeiros meses gerou empregos, mantivemos investimentos e o setor privado teve um melhor ambiente de negócios. Vamos crescer, gerar mais emprego e precisamos ainda mais qualificar a nossa mão de obra”, reforçou Bruno Reis.


Centro de tecnologia – Na ocasião, a gestora do Nubank, Chris Canavero, apresentou o projeto do Nulab que será montado em Salvador. O espaço será um centro de tecnologia voltado à experiência do cliente, mas que também será alinhado com a inclusão e diversidade. O local vai integrar profissionais iniciantes e experientes. A expectativa da gestora é de que daqui a aproximadamente 45 dias, o Nulab comece as atividades na cidade com foco inicial em educação e tecnologia.


“Será uma área de tecnologia, mas também um espaço aberto para a comunidade interagir, ajudar projetos com impacto social, ter interação com os clientes, desenvolver produtos específicos para Salvador e que possam abranger o Nordeste. Será uma troca de conhecimento muito grande [...] A gente entende que o futuro do emprego mora nesse espaço de tecnologia e a oportunidade do primeiro emprego também. Por isso temos investido nisso, principalmente nesse momento inicial, com foco em capacitação e formação em tecnologia”, afirmou.


O núcleo do Nubank em Salvador será o primeiro hub de tecnologia da plataforma fora do Sudeste. A ideia, explicou a gestora, é que outros negócios de tecnologia também sejam estimulados a se instalarem na cidade. “Que seja gerador de emprego e que cientistas, programadores e engenheiros de tecnologia não tenham que sair de Salvador para buscar emprego na área. Que as pessoas se movam para Salvador e a gente movimente esse ecossistema de empregabilidade”, afirmou.


Outras iniciativas – A titular da Semdec, Mila Paes, reforçou que o município está com programas em desenvolvimento e outras iniciativas já em andamento para que a cidade prospere, a exemplo do Portal do Investidor. Ela afirmou que a ideia é transformar Salvador em uma cidade que agregue novos formatos de negócios, ampliando o leque de oportunidades para o setor privado e também para os trabalhadores. Além do Nubank, outras empresas do setor tecnológico deverão se instalar na capital baiana.