“Falar de volta às aulas com um aumento no número de casos e de mortes seria um suícidio”, afirma Ru

Em entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (27), o governador Rui Costa rechaçou a possibilidade do retorno das aulas presenciais na Bahia a curto prazo.

“Em janeiro cresceu o número de óbitos. Eu não posso falar de volta às aulas com um aumento no número de casos e de mortes, seria um suícidio. Não posso fixar volta às aulas enquanto a pandemia estiver sem controle e em curva ascendente. Não podemos programar volta às aulas sob pena de colocar crianças, idosos e adultos em risco”, disse o governador da Bahia durante entrevista para Rádio Sociedade.

A declaração de Rui Costa vai de encontro ao que disse o secretário municipal de Educação, Marcelo Oliveira, nesta terça-feira (26). Oliveira defendeu o retorno às aulas na capital baiana mesmo sem a vacinação de professores e alunos.

“Nós precisamos fazer o retorno às aulas. Não podemos esperar a vacinação dos profissionais da educação, que está prevista para a quarta fase. O que nós defendemos é que o poder público encontre os mecanismos para voltar às aulas sem a vacina, reduzindo o risco de contaminação nas escolas”, afirmou o secretário durante videoconferência promovida pelo vereador Claudio Tinoco (Democratas).