Filme sobre 190 anos da Sociedade Protetora dos Desvalidos faz campanha para produção


Foto: Secult/BA

Com o objetivo de fortalecer a memória negra da Bahia e do Brasil, o filme documentário SPD 190 anos vai relatar a história da Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD), a mais antiga associação civil negra das Américas. A SPD foi criada em 1832, em Salvador, por um grupo de homens negros para ajudar famílias negras em situações de extrema vulnerabilidade oriunda do regime escravocrata.


A entidade desempenhou importante papel na garantia da sobrevivência de trabalhadores e trabalhadoras, negros e negras, atuando como caixa de empréstimos e penhores, comprando cartas de alforria, apoiando na doença, na invalidez, na velhice e na garantia de um funeral digno.

Para a realização do longa-metragem, que mostra a atuação do SPD, uma campanha de financiamento coletivo está acontecendo e vai até o dia 2 de junho. Os interessados podem participar, colaborando através do endereço e pelo PIX: spdesvalidos@yahoo.com.br. A campanha está dividida em três metas: 1 arrecadar R$ 300 mil; 2 R$ 350 mil e a 3 R$ 390 mil.


Os recursos serão utilizados nas etapas de pré-produção (de junho a julho de 2022), produção (de julho a agosto) e pós-produção (de setembro a novembro), taxas da plataforma na qual será divulgado e recompensas aos apoiadores. Também estão sendo realizados eventos para a captação de recursos, como sarau, almoço de apoio, jantar de adesão, e outros.

O filme será dirigido por Antonio Olavo, conceituado cineasta e pesquisador baiano, com 47 anos de experiência, especialmente, com temas ligados a valorização da memória negra.


“Esse filme é de extrema importância para os dias atuais, pois mostra uma entidade que atuou de forma interrupta nestes 190 anos contribuindo com os trabalhadores/as negros. Nada mais justo registrar essa história do povo negro”, destacou Olavo.

O cineasta também ressaltou a necessidade de promover e valorizar a memória negra. O Brasil não pode ter só as memórias do povo branco, da elite, que está nos palácios, ruas, museus, estradas, mas temos a encantadora história do povo negro, que precisa ser reconhecida no Brasil, especialmente na Bahia, estado predominantemente negro”, disse Olavo.


A Secretaria de Combate ao Racismo do PT Bahia destaca a importância do longa e apoia totalmente a campanha de financiamento para a produção.


“A SPD tem um legado de resistência e valorização da força do povo negro contra a escravidão e todo regime opressor e, por isso, precisamos eternizar essa atuação revolucionária e cidadã. Convido a todas e todos que participem desta campanha de promoção da memória negra na Bahia e no Brasil”, declarou Ademário Costa, secretário de Combate ao Racismo do PT Bahia.