“Fizeram a obra de má qualidade e deixaram os ambulantes com pior parte”, diz Marta sob

Segundo a líder do PT na Câmara, as queixas de ambulantes tem sido recorrentes em relação a atuação da prefeitura com a categoria

Líder do PT na Câmara Municipal de Salvador, a vereadora Marta Rodrigues criticou, nesta quarta-feira (23), a reforma inaugurada pela prefeitura na Avenida Joana Angélica, na última terça (220, onde logo depois um dos equipamentos entregues aos ambulantes desabou, evidenciando a má qualidade do projeto.

“Mais uma obra de maquiagem da prefeitura para melhorar a paisagem, a estética, mas não os reais problemas e a qualidade da infraestrutura. A gestão gastou R$ 1,5 milhão e o equipamento dos ambulantes sequer tem qualidade suficiente para sustentar o peso dos produtos. Eles estão improvisando com caixas embaixo das barracas pra aguentar”, diz. Segundo Marta, são recorrentes as queixas da categoria de ambulantes, que alega não haver debate com as associações sobre as reformas que envolvem e alocam os trabalhadores informais da cidade. “Alem da falta de participação nas decisões da prefeitura acerca da categoria, as queixas se estendem também para a falta de proteção dos trabalhadores. A organização que a prefeitura tenta fazer é autoritária, pois não tem escuta. Os ambulantes da Avenida Sete, por exemplo, ficam de costas para a pista e não tem proteção”, destacou.

}De acordo com a prefeitura, a obra custou R$ 1,5 milhão com o objetivo, segundo o executivo, de adequar o movimento intenso de pessoas às necessidades, dando espaço aos pedestres. “São 1,5 milhão que foram investidos num projeto de má qualidade, o que está evidente. Só olhar para o material dos ambulantes, que não sustentam o peso dos produtos”, disse a petista