“Governo federal acentua propositalmente a pobreza ao retirar bolsa família de famílias baianas e do

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Salvador, a vereadora Marta Rodrigues (PT) disse, nesta sexta-feira (19), que o governo federal demonstra desprezo pelo povo nordestino e pela Bahia ao retirar do estado o maior número de beneficiários do Bolsa Família nos últimos três meses sem transparência e justificativas. Os dados são do Comitê de Assistência Social do Consórcio Nordeste, entidade que reúne os gestores dos nove estados da região.

“É nítido que há uma perseguição e uma tentativa de fazer avançar a pobreza no Nordeste e na Bahia, atingindo um programa essencial para a vida de milhares de famílias. Em dezembro de 2020, 1.839.526 famílias baianas constavam como beneficiárias e em fevereiro esse número caiu para 1.826.820”, frisou.

Para Marta, a situação se torna ainda mais agravante uma vez que, sem o auxílio emergencial, e sem o programa, está alta a tendência da pobreza e da fome no Estado e no Nordeste. “São 12.706 famílias, cada uma com média de cinco a mais pessoas, que agora estão totalmente desassistidas no estado e mais de 48 mil famílias no Nordeste. Qual o interesse de ver o povo na miséria senão levar adiante a necropolítica, e futuramente, tentar enganara população para ganhar votos?”, destaca a edil.

Marta lembra ainda, que são R$ 30.140.318,00 que deixam de circular na região, conforme informa o Consórcio do Nordeste em documento enviado à imprensa. “São as regiões mais vulneráveis do país, é desumano o que o governo federal tem feito no país ao querer, propositadamente, aumentar a pobreza, a fome e o caos no país”, ressalta.

“O documento mostra que em outras três regiões do país, como o Sul, houve aumento de beneficiários, uma nítida desigualdade na administração do recurso. Vamos combater essa perseguição ao ´povo baiano e nordestino, pois é inadmissível aumentar a pobreza num período de pandemia, cortando programas sociais e impedido a necessária retomada do auxílio emergencial”, declara.