“Guru do bolsonarismo”, Olavo de Carvalho morre aos 74 anos


Foto: REUTERS/Joshua Roberts/Direitos Reservados

O filósofo e escritor Olavo de Carvalho morreu nessa segunda-feira (24), aos 74 anos, nos Estados Unidos, onde vivia. A informação foi dada pela família nas redes sociais do escritor. A causa da morte não foi divulgada.


“Com grande pesar, a família do professor Olavo de Carvalho comunica sua morte na noite de 24 de janeiro, na região de Richmond, na Virgínia, onde se encontrava hospitalizado”.

Natural de Campinas, São Paulo, ele deixa a esposa, Roxane, oito filhos e 18 netos. A causa da morte não foi divulgada. Recentemente, Olavo esteve internado em hospital no Brasil com problemas cardíacos.


No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do escritor.


“Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do país, o filósofo e professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi gigante na luta pela liberdade e farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”, afirmou.

Trajetória – Opositor do politicamente correto, em 2013 Olavo publicou o livro “O Mínimo que Você Precisa Saber para não Ser um Idiota”, considerado um dos manuais da direita brasileira. Outros livros de sua autoria são “O Jardim das Aflições” (1995) e “O Imbecil Coletivo” (1996). Seus livros e artigos divulgam teorias conspiratórias e informações incorretas, além de discursos de ódio.


Entre essas teorias, estão a de que a Terra é plana, a negação do aquecimento global e defesa de que a Pepsi é adocicada com células de fetos abortados.

Olavo era tido como uma figura caricata do conservadorismo brasileiro. Após a eleição de Jair Bolsonaro (sem partido) para presidente, porém, ele se revelou um consultor e espécie de guru intelectual de assessores próximos a Bolsonaro.