Junho Lilás ressalta importância do teste do pezinho

Um dos procedimentos mais importantes para detectar doenças em recém-nascidos é o teste do pezinho. Para reforçar a importância do exame, é realizada a campanha Junho Lilás, em referência ao Dia Nacional do Teste do Pezinho, celebrado no próximo domingo (6). O teste pode ser feito nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A coleta é feita no calcanhar e, com apenas algumas gotinhas, é possível diagnosticar doenças metabólicas, genéticas e infecciosas, a exemplo da fibrose cística, anemia falciforme e hipotireoidismo congênito, que são assintomáticas e podem afetar gravemente a saúde da criança ou até mesmo levar ao óbito.

Por conta da pandemia de Covid-19, a orientação é de que o teste seja feito no momento da alta da maternidade – seja ela 24h, 48h ou 72h. Os recém-nascidos que ficarem internados na maternidade/hospital também devem colher, de preferência do 3º ao 5º dia de nascido.

De acordo com a técnica da Saúde da Criança, Renata Lago, o ideal é que a coleta seja feita mesmo se a alta ocorrer antes deste tempo. Se o procedimento não for realizado na maternidade, o bebê deve ser levado a um dos postos de saúde.

“A família é orientada, desde o pré-natal, quanto à importância da realização do teste do pezinho, com todas as informações referentes ao procedimento do exame, doenças triadas, onde e como fazer na rede de assistência à saúde de Salvador. Não há impedimento para as crianças que passarem do prazo indicado, porém quanto mais cedo realizarmos a coleta mais precocemente será iniciado o tratamento dos pacientes afetados”, destaca.

Números – Desde 1992, é obrigatória e gratuita a realização do teste do pezinho em todo território nacional. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em 2021, foram realizados mais de 27 mil procedimentos do tipo. Já este ano, até o mês de fevereiro, cerca de 4 mil testes foram efetuados.