Marta pede bom senso à prefeitura para atender pedido do MP-BA de recompor a frota total: ‘Já era in

Vereadora do PT lembra que o distanciamento social é um dos principais formas de evitar o contágio

Líder da oposição na Câmara de Salvador, a vereadora Marta Rodrigues (PT) disse que o pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA) de recompor a frota total de ônibus em Salvador precisa ser rapidamente atendido pela prefeitura de Salvador para impedir o alto contágio do coronavírus, como tem se visto nas últimas semanas. “Uma solicitação que deve ser atendida com toda a urgência, pois os ônibus de Salvador sempre foram velhos, precários e superlotados. Em uma pandemia, não é possível de jeito nenhum”, disse.

Segundo a petista, a frota de Salvador, mesmo em sua totalidade, já era insuficiente para a população soteropolitana, fato amplamente denunciado no legislativo municipal e constatado diariamente no dia a dia dos usuários. “Não é algo novo, e agora, na pandemia, isso não pode se repetir. A prefeitura não pode fechar os olhos para o usuário do transporte urbano em benefício do empresariado. Tem que ser o contrário neste momento, para preservar as vidas, para manter o distanciamento social. Tem que ter mais ônibus nas ruas”, declarou.

Ainda conforme a vereadora, um ofício havia sido enviado em agosto do ano passado à Semob solicitando a recomposição total da frota de ônibus, vide as denúncias desde então de veículos superlotados. “A redução da frota já vinha sendo criticada por especialistas em todo o país. Se o objetivo é criar distanciamento social e higienização, o ideal seria colocar a frota total e ainda solicitar mais veículos”, afirmou.

Marta lembrou que o executivo municipal, há alguns anos, tem dado isenções fiscais ao empresariado de ônibus em troca de melhorias no sistema, o que não aconteceu. “A isenção do ISS, que nós da bancada da oposição fomos contra em 2019, uma renúncia dos cofres públicos de cerca de R$300milhões, com promessas do empresariado investir no transporte, no aumento da frota, em veículos novos e confortáveis, que nunca foram cumpridas. A frota de ônibus continua velha e precária, lotada não é possível que em plena pandemia, ainda piore”, criticou.