Ordem de serviço para bra de requalificação do Mercado é assinada; saiba mais


Foto: Betto Jr./Secom

A requalificação do Mercado Modelo, na Praça Cairu, um dos principais cartões postais da capital baiana e ponto de encontro tradicional de baianos e turistas que buscam por elementos da cultura soteropolitana, foi autorizada pela Prefeitura. A ordem de serviço que simboliza o início das obras no equipamento histórico foi assinada na manhã desta quinta-feira (17). A recuperação do equipamento integra o pacote municipal de ações e obras em celebração ao aniversário de Salvador, que completa 473 anos no próximo dia 29.


O investimento na recuperação do espaço é de R$12 milhões. As intervenções vão contemplar a restauração do equipamento, recomposição da cobertura existente e do madeiramento, telhamento com peças de cerâmica e vidro, pavimentação, impermeabilização e imunização do madeiramento, pintura, instalação de vidros e ainda vai revestir algumas áreas com cerâmica esmaltada, porcelanato e granito.

A presidente da Associação dos Comerciantes do Mercado Modelo (Ascomm), Analu Garrido, declarou em discurso a importância da intervenção no equipamento.


“Somos uma família de 110 anos de história, onde recebemos a rainha da Inglaterra, escritores como Jorge Amado, Paul Sartre e Pablo Neruda, por isso somos únicos e temos uma história de amor pelo nosso Mercado. Porque aqui não é apenas concreto, é um cartão postal que apaixona a todos que o visita. Somos a casa de Camafeu de Oxossi, de Maria de São Pedro, que fez o banquete da posse de Getúlio Vargas. Esse mercado vai ficar ainda mais belo e forte. Em momento algum essa história será esquecida”, enfatizou.


Projeto – A requalificação do Mercado Modelo teve o projeto desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e a execução das obras será coordenada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). A premissa adotada, essencialmente, contempla a restauração dos elementos arquitetônicos e estruturais do estabelecimento. A ideia é consolidar o Mercado Modelo como centro de cultura, artesanato, gastronomia e turismo, dotando-o de infraestrutura moderna e em perfeita harmonia com o patrimônio existente.


O subsolo do Mercado Modelo, que é um espaço atualmente não aproveitado e extremamente insalubre, devido à falta de um sistema eficaz de renovação de ar e à presença constante de água salobra em seu interior, também será requalificado.


A proposta é explorar o potencial cênico e arquitetônico desse pavimento, que poderá receber exposição cultural. Desse modo, serão criadas duas ilhas de conforto, espaços semifechados e climatizados.

No térreo, a área coberta chamada de rotunda servirá como amplo espaço multiuso. Tendo como única estrutura fixa o tablado elevado que serve de palco a apresentações culturais, essa parte continuará abrigando as mesas dos bares do térreo, podendo receber ainda outras ações e estruturas de caráter temporário.


Além disso, haverá espaços de serviço, composto por recepção, local de controle de acesso à área expositiva do subsolo, posto de informações para os visitantes tanto sobre a própria estrutura (localização de lojas, por exemplo), quanto sobre o turismo em Salvador de forma geral. Serão implantados ainda mais sanitários, inclusive para pessoas com deficiência.


No mezanino 1, também no térreo, haverá estação de trabalho que dará suporte à administração do Mercado Modelo e concentrará os informativos sonoros. O andar vai abrigar ainda uma sala de reunião com capacidade para 14 pessoas, salas da Guarda Municipal e da Brigada de Incêndio, além de um depósito de material de limpeza.

O pavimento superior terá um salão com um pequeno palco para apresentações culturais de menor porte, mesas e balcões de atendimento dos restaurantes que existem no local, e mais uma varanda. O mesmo andar também continuará com um espaço de serviços, com caixas eletrônicos para transações financeiras e sanitários.


Um pequeno mezanino privativo abrigará espaços de administração e vestiários. O local ainda abrigará um reservatório de água potável, áreas para sistema de exaustão e de convergência da tubulação de exaustão dos bares e restaurantes da edificação, encaminhamento para saída pela cobertura e áreas para sistema de climatização.


Sustentabilidade – O projeto de requalificação do Mercado Modelo recomenda, também, a construção de um depósito de lixo, tendo em vista não apenas o impacto visual que este volume geraria na Praça Cairu, mas também os benefícios à manutenção da qualidade ambiental e higiene que o sistema proporciona.