Mil dias sem Marielle: PT de Salvador cobra justiça e denuncia novas ameaças

Neste 8 de dezembro, completaram mil dias do assassinato da vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. O dois foram mortos em 14 de março de 2018 e no entanto o crime segue sem solução.

Para o presidente do PT Salvador, Ademário Costa, o homicídio da então vereadora e do motorista é um marco na luta dos direitos humanos, principalmente para a democracia. “Assim como aconteceu com Marielle e Anderson, outras pessoas candidatas ou eleitas para cargos públicos têm sofrido ameaças de morte em todo o Brasil. Infelizmente, estamos vendo como muitos não aceitam o processo democrático e a representatividade social e política de pessoas como Marielle”, destacou.

De acordo com Ademário, nas eleições desse ano foram registrados “muitos casos de preconceito, ódio e ameaças contra representantes sociais e políticos em diversos estados do Brasil”.

“É assustador o número de casos de racismo, ódio e violência nestas eleições. Percebemos que muitos não aceitam mulheres, negros e população LGBTQI+, em especial, em espaços de decisão e poder. E isso mostra como a democracia precisa ser mais fortalecida e os criminosos destes casos de ameaças e injúrias punidos. O caso de Marielle mundo inteiro pede resposta. Portanto, não podemos, nem vamos nos calar, nem tolerar tanto ódio e violência”, destacou Ademário.