Pais e professores destacam importância da vacinação de crianças contra Covid-19


Foto: Divulgação / PMS

Iniciada há um mês e meio, a vacinação infantil contra a Covid-19 em Salvador já alcançou 62% das crianças de 5 a 11 anos, que tomaram a primeira dose do imunizante contra o coronavírus.


São mais de 117 mil pequenos que começam a ficar protegidos e já podem fazer atividades, como encontrar os amigos, brincar e ir para a sala de aula, mais protegidos e seguros contra uma forma grave da doença.

Cláudia Oliveira, 43 anos, é auxiliar administrativa e mãe de Natalie. Ela acompanhou a filha durante a vacinação ocorrida na Escola Municipal Sociedade 6 de Janeiro, no Uruguai, e celebrou o tempo economizado para protegê-la.


“Eu mesma não estava conseguindo ir ao posto de saúde levar minha filha com essas filas longas. Natalie estava com frio na barriga e com medo [de se vacinar], mas, graças a Deus, ela nem chorou. Deu tudo certo”, disse.

Já Natalie, 7 anos, que é aluna do 2º ano do Ensino Fundamental I, admitiu que se vacinar foi mais fácil do que ela imaginava.


“Eu estava nervosa, achava que iria doer, mas não doeu e até que foi legal tomar a vacina aqui. Agora, posso brincar mais tranquila com minhas amigas”, contou.

Diretora há sete anos da Sociedade 6 de Janeiro, Ana Lúcia Souza avaliou a vacinação infantil realizada na escola.


“É uma iniciativa importantíssima, em virtude da facilidade de acesso dos pais. Eles estão muito felizes de poder agilizar esse processo, que muitas vezes eles estavam atrasando em função das demandas de trabalho”.

Emoção diferente – A técnica em enfermagem e vacinadora Adriele Barbosa, 24 anos, comentou que a vacinação infantil é diferente da vacinação em adultos.


“As crianças têm um pouco de receio da agulhinha no começo, mas têm também uma emoção e uma alegria de poder voltar a brincar e frequentar lugares que elas gostam, que são contagiantes. No fim das contas, é mais tranquilo vacinar criança que adulto”, comparou.

Ela acrescentou que tem sido agradável aplicar a dose nas crianças onde elas estudam. Além disso, ela acredita que a vacinação escolar permite maior controle e segurança, com a divisão das crianças por turmas e o acompanhamento dos pais.


Mutirões – Outra estratégia que também tem dado certo são os mutirões, intitulados “Dia da Criança é Dia de Vacina”. Durante todo o dia, geralmente aos sábados, a aplicação das doses é destinada a crianças e adolescentes de 5 a 11 anos.


DOCUMENTAÇÃO:


Criança acompanhada pelo pai ou mãe: É necessário estar com nome no site da SMS e, no ato da vacinação, apresentar original e cópia do documento de identificação com foto do pai ou da mãe que estiver presente, original e cópia do documento de identificação da criança, e originais da caderneta de vacina e cartão SUS de Salvador da criança.


Criança ou adolescente desacompanhado do pai ou da mãe: É necessário estar com o nome no site e, no ato da vacinação, estar acompanhada por outra pessoa maior de 18 anos. Além disso, deverá ser apresentado o Formulário de Vacinação preenchido e assinado pelo genitor da criança (pai ou mãe), cópia do documento de identificação com foto do responsável pela assinatura no documento, mais original e cópia do documento de identificação da criança, além dos originais da caderneta de vacina e do cartão SUS de Salvador da criança. O Formulário de Vacina está disponível para impressão no site da SMS.