Palácio dos Esportes foi arrematado por R$ 9 milhões em leilão do Estado



Foto: Mateus Pereira / GOVBA

O edifício do Palácio dos Esportes, situado na Praça Castro Alves, no Centro Histórico de Salvador, foi arrematado, na manhã desta terça-feira (08), por R$ 9 milhões, em leilão do Governo do Estado. Venceu o certame a empresa Praia do Castelo Empreendimentos Turísticos Ltda, ligada ao Grupo Hiper Ideal. A empresa irá instalar no imóvel um equipamento voltado para o turismo, mas o projeto ainda será apresentado no prazo de 90 dias, como determina o edital do leilão.


O evento aconteceu no auditório do Espaço Crescer, no edifício da Secretaria da Administração (Saeb), Centro Administrativo da Bahia. O certame teve o comandado da leiloeira oficial Ivana Montenegro Castelo Branco Rocha, escolhida por sorteio eletrônico. Dois licitantes participaram, mas apenas a empresa vencedora ofertou lance.


A alienação do Palácio do Esportes foi autorizada pela Assembleia Legislativa da Bahia, com a aprovação da Lei Autorizativa nº 14.304/2021, que condicionou a venda do imóvel à implantação de um empreendimento turístico. O edital liberou o imóvel para abrigar projetos como hotéis, restaurantes, centro de convenções, espaços para atividades artísticas e culturais, dentre outras correlatas.

A empresária Geisy Fiedra Rios Pinheiro de Almeida falou sobre a aquisição do Palácio dos Esportes, pelo Grupo Hiper Ideal.


“Nós estamos muito felizes, em poder contribuir para a revitalização do Centro Histórico de Salvador, uma área tão importante para a cidade. Além da valorização e do resgate do sítio arquitetônico, o empreendimento voltado para o turismo vai ajudar no desenvolvimento socioeconômico da Bahia, gerando muitos empregos”.

O imóvel foi arrematado pelo valor de avaliação. O licitante vencedor optou pelo pagamento parcelado, dividido em quatro parcelas anuais, conforme permite as regras do edital. A primeira parcela paga na data de realização do certame e as demais no intervalo de 12 meses, corrigidas pelo índice TR-poupança.


A alienação do prédio atingiu o objetivo de conceder melhor finalidade ao patrimônio público. Os recursos com a venda do imóvel serão incorporados ao Tesouro do Estado e utilizados para implantação de políticas públicas que atendam à população. Assim, o governo aproveita seus ativos de forma mais eficiente.