“Quem comemora o golpe de 64 não tem princípios democráticos e rasga a Constituição Federal”,

Líder da oposição na Câmara de Salvador, a vereadora Marta Rodrigues (PT), ressaltou, nesta quarta-feira (31), a importância de lembrar as barbaridades e violações aos direitos humanos promovidas pela ditadura militar iniciada om o golpe de 1964, no dia 31 de março.

“Quem comemora esta data é porque não tem nenhum apreço pela democracia, pela inclusão social, pela liberdade de expressão e pela garantia de direitos. Esta data nos serve para lembrar o quão é valorosa a democracia e para homenagear as milhares de pessoas que foram torturadas, agredidas e mortas num dos períodos mais nefastos da nossa história”, disse.

Segundo Marta, há uma tentativa de alienação da população promovida pela extrema-direita ao querer “comemorar” o golpe de 1964. “Estas pessoas que mentem para o povo, omitindo a barbárie que foi a ditadura militar, desrespeitam a dor e o sofrimento de milhares de pessoas que foram vítimas da repressão. Rasgam, literalmente, a Constituição Federal de 1988, formulada através de ampla participação social, de um levante contra o racismo, contra o machismo, contra a censura à imprensa. Ignoram propositalmente que o golpe de 1964 perseguiu milhares de pessoas que lutavam por direitos à informação, à verdade e por um Brasil menos desigual”, declarou.

Para a petista, o que o governo de Bolsonaro e seus aliados tem feito, a exemplo da negação da ciência, do atraso de vacinas e da tentativa de usar as Forças Armadas como instituição de governo, e não de Estado, tem provocado um retrocesso a passos largos para o país. “Todo esse discurso de ódio, o extremismo de direita, tem levado o Brasil a um patamar de crises e de retrocessos jamais vistos na recente história de nossa democracia. A situação assusta a todos, em todo o mundo”, concluiu.