Universidade Johns Hopkins avança com pesquisa no trânsito da capital baiana


Foto: Divulgação

Os soteropolitanos poderão notar, a partir desta terça-feira (26), pessoas munidas de prancheta e um equipamento eletrônico realizando pesquisa de tráfego em algumas vias da cidade. Eles formam uma equipe de cerca de 20 pesquisadores ligados à Universidade Johns Hopkins que estão realizando uma nova etapa de um levantamento sobre o comportamento dos condutores e pedestres no trânsito da capital baiana. O estudo não visa fiscalizar possíveis infrações ou gerar notificações.


A pesquisa, coordenada pela instituição norte-americana, vai analisar o uso da velocidade em diversas vias de Salvador. Uma primeira fase do levantamento foi realizada no final do ano passado. Esta nova etapa deve durar até o final deste ano. Ele é realizado no Brasil pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e integra a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, entidade parceira da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador).

Os pesquisadores percorrerão 16 pontos na cidade medindo a velocidade dos veículos que trafegam nesses locais. Eles não vão abordar o cidadão. Todos os pesquisadores estarão devidamente identificados com camisetas. Para medir a velocidade eles usarão um medidor portátil. O equipamento será usado apenas para aferir a velocidade, ou seja, estes dados não são usados para gerar notificações.


A pesquisa visa analisar a dinâmica do trânsito e o comportamento dos condutores em Salvador. Além do quesito velocidade, os pesquisadores coletarão informações sobre gênero do condutor e tipo de veículo. O mesmo levantamento foi realizado na capital baiana em novembro de 2020.

Outras pesquisas desse tipo serão realizadas em Salvador semestralmente para verificar a velocidade e anualmente para coletar informações sobre os usos do cinto de segurança e do capacete. Os dados dos estudos servirão para traçar uma evolução sobre como condutores de veículos e de motos, e pedestres se comportam no trânsito de Salvador. Com isso, a Transalvador, juntamente com técnicos da Iniciativa Bloomberg, poderá aprimorar e implementar políticas públicas com foco na segurança viária.


Pedestres – Durante o mês de novembro, a pesquisa entra em uma fase inédita em Salvador. Em duas etapas, os pesquisadores irão recolher dados sobre pedestres em seis pontos da Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana). A pesquisa consiste em analisar e alterar o tempo dos semáforos destas localidades e entender os efeitos disso na travessia dos transeuntes.


Propósito – Além de Salvador, a pesquisa está sendo realizada em Recife e já foi concluída em Fortaleza, com o objetivo de promover a segurança viária e reduzir o número de vítimas de acidentes de trânsito nestes locais. A Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global (BIGRS) trabalha com as principais organizações mundiais de segurança no trânsito, para implementar atividades de segurança e coordenar com atores governamentais e não governamentais do país. Desde 2020, a entidade apoia a Prefeitura de Salvador.